Você está aqui: Página Inicial / Perguntas Frequentes / FAQ

FAQ

FAQ (Frequently Asked Questions)

Perguntas Frequentes

 

1. Quero ir para o exterior. Como o ECI pode me ajudar?

O ECI atende à comunidade interna da UEM, alunos e professores; Porém, o ECI não é uma agência de viagens, não oferecemos um pacote de viagem.  Nosso trabalho é intermediar os convênios entre a UEM e Instituições do exterior, viabilizando a validade de seus estudos realizados fora e dando suporte com a documentação institucional. Portanto, é vocês, estudante que deve escolher seu destino e providenciar sua documentação pessoal. Cuidamos também da documentação referente aos Programas Internacionais disponíveis para acadêmicos: mobilidade acadêmica e estágio no exterior.

 

2. O que é Mobilidade Acadêmica, quem pode participar?

A Mobilidade acadêmica é um programa que possibilita ao estudante realizar parte de seus estudos no exterior, quer substituindo disciplinas de seu curso, quer acrescentando-as em seu currículo. A UEM possibilita aos seus alunos a participar da Mobilidade nas Universidades conveniadas e também está aberta a receber alunos estrangeiros dessas instituições. A mobilidade só ocorrerá com a autorização da coordenação do curso, pois isto permitirá a posterior convalidação dos estudos realizados.

 

3. Como funciona o estágio no exterior?

A UEM possibilita a seus alunos realizar Estágio no exterior em Universidades, Empresas ou Organizações. Ou seja, o estágio pode ser feito em uma instituição privada que ainda não tem convênio com a UEM, desde que se cumpram as exigências da PEN e do ECI (ver site). De toda forma cabe ao aluno pesquisar e conseguir o estágio (obter uma carta de aceite do responsável local) somente assim o ECI poderá dar início aos trâmites legais.

 

4. Os acadêmicos de todos os cursos podem participar dos Programas Internacionais?

Sim, todos têm a oportunidade de participar, desde que o Programa seja relacionado ao seu curso e autorizado pela coordenação do mesmo.

Veja os passos para participar da MobilidadeEstágio.

 

5. Eu só posso fazer Mobilidade Acadêmica e cursar disciplinas que não pertencem a meu curso?

É possível cursar disciplinas de áreas afins. Desde que autorizado pela coordenação de seu curso (carta de Anuência): autorização expressa solicitada via protocolo acadêmico para análise das disciplinas e respectivas ementas.

 

6. Sempre vejo no site notícias sobre bolsas. Vocês podem me ajudar a me candidatar?

Fazemos apenas a divulgação das bolsas e cursos oferecidos no exterior. A candidatura é de responsabilidade do interessado.

 

7. Eu tenho de ser fluente no idioma do país para onde quero ir?

É importante ter um conhecimento razoável do idioma até mesmo porque ele é exigência da maioria das instituições e deve ser comprovado por diplomas reconhecidos. O tipo de diploma a ser exigido normalmente será o que a instituição de destino solicitar. As informações sobre esta exigência são encontradas no site das instituições, quando se trata de  Instituições de Ensino. As provas de proficiência são aplicadas por instituições reconhecidas como o Instituto de Línguas da UEM, Aliança Francesa, First certificate, Instituto Goethe, Instituto Cervantes, Centro de Cultura Italiana ou são provas reconhecidas como Toefl, First certificate.

 

8. Posso sair em qualquer época do curso para fazer mobilidade ou estágio?

Sim dependendo do tipo de saída. Para estágio é possível a saída em qualquer época, respeitando-se as datas de início de estágio. Para semestre acadêmico as saídas serão de acordo com a data de inicio do semestre em que você ingressa.

 

9. Por exemplo: viajo para um programa internacional em agosto. Quando eu voltar, posso continuar meu curso de onde parei? Como funciona? Vou perder o ano?

De acordo com a Resolução nº 004/09 do CEP, em seu artigo 14 parágrafo 3 "Para efeito de registro, a(s) nota(s) e frequência dos componentes curriculares anuais cursadas no ano letivo de liberação do aluno devem ser consideradas desde que o mesmo tenha cumprido integralmente, pelo menos dois bimestres letivos, devendo cursar o restante do(s) componente(s) curricular(es) ou equivalente(s) no seu retorno para a UEM." Uma vez que o ano acadêmico no hemisfério norte começa em agosto/setembro o acadêmico ao sair após o segundo bimestre poderá retomar seu curso quando voltar a partir do terceiro bimestre.

 

10. Existem algum apoio financeiro, como alojamento ou alimentação?

Depende. Existem acordos com algumas universidades argentinas que prevêem alojamento ou bolsa. Dentro de sua pesquisa você descobrirá se a instituição escolhida tem e oferece vagas para alojamento de estudantes (estrangeiros) e por quanto tempo. A França, por exemplo, oferece uma bolsa para todo e qualquer estudante em solo francês, para auxílio moradia desde que a permanência seja para um ano. Não existe bolsa para mobilidade, o que geralmente se consegue é isenção de taxas escolares (normalmente os Estados Unidos e Inglaterra não as isentam).

 

11. Muitos alunos da UEM já participaram desses Programas?

Sim

 

12. O ECI pode me ajudar a elaborar um orçamento de viagem?

Não. Procure uma agência de viagem.

 

13. Depois de formado posso utilizar os serviços do ECI?/ Sou graduado. O que o ECI pode fazer por mim?

Como foi dito, o ECI atende apenas à comunidade interna da UEM, quer dizer com vinculo afetivo. Alunos que já terminaram seus cursos (graduação ou pós) não têm direito ao apoio do nosso serviço. Por outro lado as saídas dos pós graduandos se faz sob a orientação dos programas (mestrado/doutorado).

 

14. Quero me candidatar ao programa de bolsas, como faço?

Primeiro procure o local onde você quer estudar, e em seguida o programa de bolsas. Daí, estude minuciosamente cada edital e descubra quais passos devem ser dados e em que ordem. Lembre-se nenhum dado ou item pode ser pulado. Qualquer item/documento não cumprido inviabilizará sua aceitação.

 

15. Todo estágio é curricular? Quais os passos que devo cumprir para conseguir um estágio?

Sim. Todo programa de estágio que se faça dentro da UEM será considerado curricular e, portanto deverá se realizar dentro das normas e exigências da UEM.

 

16. Quero fazer au pair/work experience. O ECI ajuda?

Não ainda que sejam programas que podem contribuir, em muito, para a formação pessoal de um cidadão, o ECI pode trabalhar apenas no âmbito de formação acadêmica do aluno. Para estes programas sugerimos procurar as empresas de intercâmbio como CI, ICI, AIESEC, etc.

 

17. Posso indicar algum aluno do exterior para estagiar na UEM?

Sim, desde que ele realize os passos exigidos por nossa instituição (consultar site do ECI).

 

18. O ECI orienta para fazer o passaporte e conseguir o visto? Como faço?

Não. Apenas indica onde procurar, mas cabe ao interessado a coleta de informações e a efetivação do mesmo junto à polícia federal e consulados. Acrescentamos que o processo de confecção de passaporte começa pela internet (informações, emissão de guia de recolhimento e posterior agendamento para entrevista) no site da polícia federal.

 

19. Todas as universidades no exterior são pagas?

Apesar de serem, em grande número, públicas elas geralmente cobram taxas acadêmicas mensais ou anuais. Entretanto a grande maioria das conveniadas com a UEM isentam de taxas.

 

20. A UEM participa do Programa Erasmus Mundus, para mestrados?

O Erasmus Mundus é um programa que se realiza a partir de um consórcio entre universidades e não entre duas universidades e ainda que é um programa sobretudo endereçado às pós-graduações. Para concorrer a uma bolsa deste programa é necessário que o candidato esteja matriculado em um programa de pós-graduação vinculado ao Erasmus. Será o programa que indicará o aluno à bolsa e não o aluno que se candidata. A UEM entrou no programa em 2014, e as condições serão anunciadas nos editais.

 

21. Os alunos podem intermediar a realização de um convênio de uma universidade estrangeira com a UEM?

Não, este processo é realizado exclusivamente entre instituições a pedido de um professor ou de um servidor técnico administrativo.

 

22. O meu professor pode solicitar ao ECI  a abertura de um convênio de mobilidade com uma universidade estrangeira?

Sim. Desde que haja uma ação específica para tal convênio (mobilidade, intercâmbio de professores, pesquisa comum, etc..)

 

23. Como funciona a revalidação de diplomas de estudos realizados no exterior?

A revalidação de diploma é assunto da Diretoria de Assuntos Acadêmicos (DAA), que segue as normas determinadas pela Pró-Reitoria de Ensino (PEN). No site da DAA, www.daa.uem.br, no link Legislação Acadêmica você será direcionado par ao site da PEN, onde poderá pesquisar as Normas para a Revalidação.

 

24. As disciplinas que realizei no ano acadêmico no exterior, que não correspondem à grade curricular do mesmo curso, vão ser consideradas pela UEM?

Reporte-se às questões 2 e 5 acima.

 

25. O aluno é quem realiza todos os contatos até obter a carta de aceite da universidade estrangeira?

Sim. Cabe ao acadêmico pesquisar, escolher e entrar em contato com a universidade ou instituição no exterior e solicitar e conseguir a carta de aceite, seja para estágio, seja para semestre acadêmico. Entretanto, neste processo, quando o aluno não consegue as informações que precisa, o ECI deve ser acionado.

 

26. Eu não tenho muitos recursos econômicos, que possibilidades existem de estudar ou fazer um estágio no exterior?

Questão muito importante para ser analisada antes de sair. Nossa universidade sendo pública e gratuita não oferece  bolsa de estudos para o exterior. Algumas universidades conveniadas possuem alojamento acadêmico e restaurante universitário e os disponibiliza conforme as possibilidades delas, para alunos estrangeiros (ver site das universidades) e normalmente dispensam taxas acadêmicas. Existem universidades que oferecem um auxilio moradia e alimentação. Por outro lado é raro encontrar um programa de bolsa para graduação.

 

27. Sou docente da UEM e gostaria de fazer um doutorado ou um pós-doutorado no exterior. O que o ECI pode fazer para me ajudar no processo?

A CAPES e o CNPQ junto com as agências internacionais como o DAAD, Embaixadas da Espanha, da França fornecem bolsas específicas para doutorado e pós-doc. O ECI faz a divulgação das bolsas para doutorado oferecidas pelas agências de fomento internacional e nacional.

 

28. Como é a concorrência para mobilidade acadêmica? Tenho que ter boas notas na faculdade?

As universidades prevêem um número limitado de alunos para cada instituição solicitante. Portanto, conforme as solicitações são feitas ao ultrapassarem o número de vagas, utilizar-se-á critérios de desempate e considera-se o desempenho acadêmico. Devemos lembrar que as instituições prezam a excelência e preferem os alunos com as maiores médias.

 

29. Já que tenho que fazer minha pesquisa sozinho, para que eu vou precisar do ECI?

Além do disposto na primeira questão  desta lista, o papel do ECI é avalizar a entrada do aluno na outra instituição; permitir a oficialização da saída e do retorno; institucionalizar  as ações de internacionalização; zelar pelo bom transcorrer de todo o processo (documentos, viagem, segurança do estudante, etc). Além disso, algumas universidades exigem que a solicitação e os documentos dos alunos sejam enviados pelo Escritório.

 

30. Qual é o departamento responsável pela revalidação dos cursos de pós-graduação?

A DAA (www.daa.uem.br)

Ações do documento